top of page
Buscar
  • Foto do escritorAlê Delara

China migra compras de soja para o Brasil após passagem do furacão IDA



Os compradores chineses estão procurando se afastar dos EUA para atender às suas necessidades de soja, após a queda nas vendas de exportação dos EUA depois que o furacão Ida atingiu Nova Orleans - um importante centro de exportação de grãos - no final do mês passado.


O furacão Ida levou à suspensão das operações e danos às instalações de grandes terminais portuários de grãos naquela região dos EUA.


Já se passaram duas semanas e apenas alguns terminais de grãos retomaram o carregamento entre 9 e 10 de setembro, e o restante deles ainda estava esperando a restauração da energia antes de avaliar maiores danos.


"As principais tradings de grãos ainda relutavam em comprometer qualquer carregamento de vendas antes de novembro, já que os vendedores estavam preocupados em não entregar as cargas em meio à incerteza logística e ao status instável de suas instalações", disse uma fonte.


Não houve disponibilidade de ofertas de carga para embarque em outubro pelos terminais do Golfo nas duas últimas semanas, disseram vários compradores chineses à S&P Global Platts.


No entanto, a China ainda possui necessidade de cobertura entre 2-3 milhões de toneladas para outubro, porém o ritmo de compras segue lento pelos esmagadores, devido às margens de processamento negativas no mercado doméstico.


Como resultado, os compradores chineses com necessidades imediatas têm lutado para obter cargas imediatas de soja de outras origens, Brasil e Argentina, onde as safras restantes para exportação nesta temporada já são baixas.


Algumas cargas brasileiras, para embarques em outubro foram vendidas CFR China a 410-420 cents/bu acima do contrato com vencimento em novembro, durante a última semana e 2-4 cargas adicionais negociadas a +425 X21 nesta madrugada.


Os preços-base CFR China subiram rapidamente impulsionados pela mudança na demanda ligada à restrição de oferta dos EUA, com os prêmios de exportação subindo 53 cbu, ou 15% de 362 cents/bu antes do furacão Ida em 27 de agosto para 415 cents/bu no dia de ontem.


A temporada de exportação dos EUA normalmente começa em outubro, com mais de 60% das vendas de exportação para a China carregadas e despachadas pelos portos do Golfo.


"A janela de exportação dos EUA pode reduzir se a capacidade do porto de NOLA não se recuperar a tempo até outubro", disse um trader.


As vendas de exportação dos EUA foram 8,35 milhões de toneladas menores que no ano passado, de acordo com dados do USDA de 2 de setembro, com as vendas para a China, o maior comprador de 9,82 milhões de toneladas, abaixo dos 15,47 milhões de toneladas do ano anterior.


Fonte: SP Platts

Comments


bottom of page